Hey! Somos todos da mesma espécie!





Uma razão óbvia serviu de gota d'água para que eu resolvesse escrever mais um texto reflexivo aqui. Sim, são as eleições estadunidenses ocorridas esta semana. E o que já parecia um tanto óbvio nos últimos anos ficou ainda mais evidente agora: a crescente e infeliz onda de ódio virtual e uma espécie de divisão entre as criaturas humanas deste planeta. Pode chamar de esquerda e direita, brancos e outras cores, pobres e ricos, conservadores e liberais, nativos e estrangeiros, preconceituosos e mentes abertas... Há uma porção de rótulos que as pessoas tendem a colocar em si próprias e nos outros. De maneira simples poderíamos resumir como uma necessidade de defender seus interesses (e de seus grupos) e se sentir melhores que os outros.
Por mais que eu tente ficar longe dos comentários muitas vezes um tanto insensatos nos vídeos e reportagens online, volta e meia eu acabo parando neles e me decepcionado como uma mediocridade tenebrosa vinda de indivíduos que são da mesma espécie que eu e você(!). Sim, todos seres humanos, habitantes desde mesmo planeta e compartilhando este tempo atual. Como disse no início, muitas vezes isso não passa de um recurso um tanto patético de se proteger do novo, do diferente, daquilo que pode representar uma mudança a um estilo de vida outrora privilegiado. 
Foi assim com os negros até a época da escravidão (mas que ainda deixa ecos desagradáveis), os direitos das mulheres, os portadores de deficiências e doenças que dificultam a interação social, as culturas históricas, com a preservação dos recursos naturais... Enfim, questões que no passado eram ignoradas ou relegadas a um tratamento inadequado. Neste ponto, ao menos podemos constatar o quanto tantas coisas têm sido feitas ao redor do globo para garantir mais igualdade e um mundo mais digno, por mais que isso ocorra em velocidades tão distintas.
Voltando ao gancho inicial, sim, aquele cara estranho foi eleito lá naquele país e não temos como garantir de que forma o mundo vai evoluir ou regredir em sua gestão. Mas torçamos ao menos para que não piore. O planeta agradece. Somos todos moradores daqui. Temos a mesma origem. Não importa sua nacionalidade, características financeiras ou conta bancária. Eu, você e todo o resto somos todos humanos. Isso basta.

Comentários