Pense por si mesmo!




Ontem, por acaso, assisti a um extra de um velho DVD de minha coleção. E foi uma excelente surpresa poder me deliciar com o conteúdo e as memórias daquela que foi uma das maiores atrizes de Hollywood e uma das mulheres mais significativas do século 20: Katharine Hepburn (1907-2003). Filha de médico e uma ativista pelos direitos das mulheres, ela foi, desde cedo, ensinada a pensar por si própria e não se tornar uma vítima da sociedade. E foi exatamente assim que a senhora que narra o documentário seguiu durante toda sua vida, fosse no teatro, nos filmes ou na vida amorosa. Desde usar calças numa época em que pouquíssimas mulheres o faziam, decidir não ter filhos por opção própria ("já tem gente demais no mundo") e até fugir do glamour de Hollywood, incluindo não comparecer às cerimônias para receber seus quatro Oscar (até hoje um recorde). Mas, enfim, falar dessa grande mulher foi só para introduzir e me dar ideia pra escrever mais um texto neste meu espaço.
Ser uma pessoa de opiniões próprias no mundo atual poderia ser uma realidade concreta, mas infelizmente parecemos estar vivendo um retrocesso e uma triste onda de conservadorismo no Brasil e muitos países atualmente. Se uma criança nasce pura e com a mente aberta, seus pais, a religião, a escola e outros fatores externos acabam por moldá-la para qualquer coisa que represente seus interesses morais, financeiros ou o que for. Eu, obviamente, fui influenciado por esses fatores citados, mas nesta minha curta trajetória não me lembro de ter cedido a algo que não concordasse para permanecer num barco. Não faço parte de grupinhos para parecer mais forte, não "encho a cara" para me enturmar, não gosto de futebol porque a maioria dos homens gosta (ou diz que gosta) nem vou comprar a roupinha da moda para me exibir. São exemplos simples, mas só acho que servem pra reforçar a importância de não aderirmos a coisas de que não precisamos. Eu tenho consciência do que gosto e quero para minha vida. Infelizmente, a maioria simplesmente entra a roda e vemos por aí uma porção de cópias e variações de pessoas que agem da mesma forma.
Quanto à conduta individual, é uma questão de escolha e cada um pensa ou copia quem quiser, problema seu. Mas isso muda de caráter quando afeta a coletividade. O líder de uma igreja querer que todos sigam seus mesmo preceitos, o ruralista querer a todo custo destruir florestas e afetar a vida natural, o corrupto defender a anistia para os que têm estado em condutas duvidosas como ele... A cada dia que abro os principais sites de notícias é sempre uma enxurrada de negatividade. Não gosto de soar pessimista, mas é terrível ter que conviver com isso, esse ciclo de problemas que se repetem. Os que estão com o poder atualmente foram, obviamente, escolhidos por nós, mas as razões que os colocaram lá são das mais distintas. Não importa se foi o voto por uma dentadura ou propinas milionárias de empreiteiras, é tempo de mudar. Isso aqui é só meu blog pessoal, mas fico feliz de ter expressado minha opinião nos últimos seis anos e mantido meus valores. Não mudei, não cedi e não deixei de acreditar.
Apenas faça isso: pense por você mesmo, analise bem o que vai dizer e postar nas redes sociais. Por que você acredita no que acredita? Suas ideias são suas mesmo ou uma cópia de outras pessoas com quem convive? A vida passa rápido e só temos esta pra viver. Seja você mesmo e não prejudique o outro. É um tanto clichê mas é bom refletir e fazer a coisa certa, justa. E como complemente perfeito, mais um vídeo do canal POLIGONAUTAS. C'est fini.






Comentários