Depois que a Estrada Termina (trechos)


Inspirado livremente em fatos reais

Os breves trechos abaixo são de duas passagens do roteiro de um curta-metragem que escrevi há alguns anos. Minhas maiores inspirações para tal foram  a notícia de uma família criminosa de Garanhuns, Pernambuco, assim como o clássico do terror "O Massacre da Serra Elétrica' (1974). Sem mais detalhes para não estragar o segredo da história.
Já tentamos filmá-lo uma vez, mas não foi possível desenvolver à época. De qualquer forma, nunca é tarde para realizar...


TRECHO I:
A fachada da casa velha.

Uma jovem de cerca de 20 anos está correndo agoniada na propriedade. Seu rosto está próximo e ela muito ofegante. Os cabelos estão desgrenhados.
As paredes e janelas da casa estão em estado precário, descascando.
A jovem corre olhando apreensiva para trás.
A casa está em um local aparentemente vazio. O mato cresce ao redor.
A jovem vê um portão fechado. Suas mãos tentam desesperadamente abrir. Ela volta a olhar angustiada para trás. A moça consegue abrir o portão. Ela está descalça, os cabelos bagunçados e a calça jeans e a camiseta sujas. Ao correr, ela tropeça, mas logo se levanta e segue.



TRECHO II:
Quarto.
O rosto em choque de Nicole.

DONA BETH
Oi querida! Até que enfim a gente se conheceu... Então... (Breve pausa) Olha pra você... Mas que pele boa, menina. E essas roupas aí... Fazia tempo que eu não via uma pessoa tão elegante assim... (Pausa) Eu não vou mais pra cidade. (Pausa) Você não faz ideia. Já fui moça assim que nem ocê. Mas um dia acabaram com a minha paz. Abusaram... Aí eu tive que ficar por aqui mesmo... Eu resolvo tudo. Aqui dá pra viver. Na cidade, ninguém é feliz. Todo mundo só corre. É barulho o dia inteiro. O meu filho, menino de ouro, ele me ajuda demais. Tem bom gosto. Nunca falta material pra fazer empada. E cliente tem de sobra. As empadas são recheadas. O povo da roça gosta. Tem sustança. (Pausa) Vamos começar mais uma? Escolhe aí... Moça formosa ou rapaz troncudo? Eu não faço isso com todos. Só com aqueles que não têm cura. Hoje mesmo eu soltei uma menina, coitada. Ela precisava de uma chance. E ocê? O que vai querer?




Comentários